quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

A saborosa e ardidinha rúcula
Direto da terra
Para ter bons resultados no cultivo de uma HORTA alguns cuidados são necessários. É importante obter informações sobre todo o processo, do plantio à colheita, e dos tratos culturais indicados para cada espécie. Mas é fundamental também que se conheça as características da hortaliça a ser cultivada.

A seguir, ficha técnica da RÚCULA, lembrando que todas as informações aqui descritas provêm de pesquisas em livros, boletins e revistas de Instituições especializadas, podendo ocorrer pequenas variações de informações devido a vasta (bio)diversidade existente e da prática e preferências de cultivo de cada horticultor.



RÚCULA
Eruca sativus Mill



     Originária da Europa, a rúcula até pouco tempo atrás não era muito agradável ao paladar devido ao seu sabor “ardido”. Muito conhecida nos churrascos, hoje ela ganhou espaço e é servida em pizzas, lanches e até mesmo em saladas de macarrão.

     A rúcula contém proteínas, vitaminas A e C, cálcio e ferro. É pobre em calorias. Estimula o apetite, é depurativa, diurética e indicada para diabetes.

     É uma hortaliça de crescimento rápido, pode ser colhida bem novinha – com vinte dias – e se colher as folhas cortando próximo ao talo, ela rebrota mais uma vez.



Cuidados no plantio:

Solo: deve conter bastante matéria orgânica, ser bem fofo e com boa drenagem.
Irrigação: regar diariamente pela manhã. Manter o solo úmido porém nunca encharcado.
Semeadura: pode ser plantio direto ou em sementeiras. Para o plantio em canteiro fazer linhas com espaçamento de 15 a 20 cm. Dispor as sementes tendo o cuidado de não deixa-las muito agrupadas.

Dica do “Seo” Sebastião para o plantio direto à lanço, em canteiro: misturar meio quilo de areia peneirada com um saquinho de semente. Essa técnica facilita a dispersão mais homogênea pelo canteiro.




A rúcula gosta de sol, principalmente o da manhã.

Na horta, a rúcula e a couve são chamarizes de lagartas e outras pragas.
Para ajudar a combater os ataques pode-se utilizar óleo de nem ou receitas de preparados caseiros. (veja as receitas nesse blog)



Para as crianças, as lagartas nas folhinhas representam ótimas oportunidades de aprendizagem - estimulam a curiosidade, observação, transformação... Deixe algumas crescerem para ver o que acontece.

Para outras dicas e receitinhas, clique aqui.



Nenhum comentário:

Postar um comentário