quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Receitas caseiras no combate a insetos

PARA AUXILIAR NO COMBATE A INSETOS INDESEJADOS E OUTROS BICHINHOS QUE ATACAM HORTAS E JARDINS A DICA É UTILIZAR PRODUTOS NATURAIS QUE NÃO AGRIDAM NOSSA SAÚDE E NEM O MEIO AMBIENTE.



EXTRATO DE ALHO E CEBOLA
PARA AUXILIAR NO CONTROLE DE INSETOS

O alho (Allium sativum) e a cebola (Allium cepa) apresentam em sua composição substâncias, como o enxofre, que podem ser utilizadas no manejo de pragas e de doenças foliares. Essas substâncias podem ser extraídas e facilmente preparados para utilizações caseiras.

RECEITA 1
Ingredientes:
- 1 dente de alho;
- 2 litros de água.
Como preparar o extrato:
1° Passo: preparo da calda.
Triture o alho no liquidificador juntamente com a água.
2° Passo: aplicação da calda.
Pulverize as plantas atacadas.
Insetos controlados – brocas, ácaros, cochonilhas e pulgões.

RECEITA 2
Ingredientes:
- 1 kg de alho;
- 5 litros de água;
- 100g de sabão neutro;
- 20 colheres (de café) de óleo mineral
Como preparar o extrato:
1° Passo: preparo do extrato.
Moa os dentes de alho finamente, deixe em repouso por 24 horas em 20 colheres de óleo mineral dentro de um vasilhame.
Em outro vasilhame, dissolva 100 gramas de sabão picado em 5 litros de água, de preferência quente.
Após a dissolução do sabão, misture a solução de alho.
Coe a mistura.
2° Passo: aplicação.
Dilua a mistura em 20 partes de água (1 litro de calda + 20 de água) e aplique.
Insetos controlados – brocas, ácaros, cochonilhas, pulgões, lagartas e vaquinhas.
Quando pulverizado sobre as plantas, não deixa cheiro nos produtos agrícolas depois de 36 horas.

ESSAS RECEITAS FORAM INDICADAS PELO MAPA - MINISTÉRIO DA AGRICULTURA


quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Brasileiras

Tabebuias


Conhecidas por ipê, essas árvores exuberantes crescem lentamente de norte a sul do nosso país.


Recebem outros nomes – todos de origem tupi – como pau d’arco, ipeuna, peúva...




A cor e a floração podem ser muito intensas, principalmente se o inverno for frio e seco.

                   

Geralmente começam a perder as folhas (são árvores caducifólias) no início do inverno e florescem até a primavera.





                        


Brancas, amarelas, rosas, roxas...  lindas!! São um espetáculo da natureza. 
A flor amarela do ipê é símbolo nacional.




As tabebuias são árvores indicadas para o plantio em calçadas, praças e parques.

Além da beleza elas atraem muitos insetos polinizadores e pássaros como o beija-flor.


terça-feira, 20 de junho de 2017

Formiga cortadeira: Praga ou boa jardineira?

Formigas são um problema não só na horta como no jardim.



Por outro lado é bom saber que esses “terríveis” insetos têm importante papel na natureza. Além de aerar o solo, ajudam também a fertiliza-lo, são ótimas agricultoras além de se alimentarem de algumas pragas da lavoura, como o bicudo que ataca o algodão.



Existem dois grandes grupos de formigas cortadeiras: as saúvas (gênero Atta) e as quenquéns (gênero Acromyrmex).
Para controlar ataques das formigas cortadeiras evitando o uso de produtos químicos - que podem ser prejudiciais ao solo e a nossa saúde - procure usar meios naturais para combatê-las.


 Algumas dicas:
Para árvores e plantas de caule, como roseiras, que não estejam encostadas em paredes ou muros, coloque uma faixa de manta de bidin (manta geotêxtil) no tronco próximo à terra. Fiz isso no meu jasmim e hibisco e tem dado resultado. Outra dica é fazer um anel de graxa ou vaselina pastosa, da mesma maneira, para evitar que elas subam e cortem todas as folhas.




As sementes de gergelim também dão bons resultados. Não é possível acabar totalmente com essas cortadeiras, mas diminui bem suas visitas ao jardim.


As formigas carregam o gergelim para o formigueiro onde essas sementes matam o fungo do qual as formigas se alimentam. Lembrando que as formigas cortadeiras não se alimentam do que carregam. Elas usam esses materiais para produzir o fungo (gênero Leucoagaricus gongylophorus) do qual se alimentam – uma relação simbiótica.



Algumas plantas podem ser cultivadas na horta e no jardim como “repelentes naturais”.
O alho ornamental, cebolinha, coentro, lavanda, hortelã e menta são boas indicações.
Plante as mudas espalhadas ao redor dos canteiros.
Outro meio natural e bem eficaz é o repelente feito a base de água e pimenta.